WildFly 10, uma receita para linux.

wildfly

Até mesmo os chef´s de cozinha seguem receitas, quanto mais nós, meros homens de TI.

Recentemente eu resolvi fazer testes com o WildFly 10, porém me deparei com a seguinte situação:  Roda-lo como serviço em uma maquina Red Hat Linux 7 e acessa-lo remotamente. Segue minha receita de bolo para isso:

Baixei o WildFly em: http://download.jboss.org/wildfly/10.1.0.Final/wildfly-10.1.0.Final.tar.gz. Detalhe não se apague ao link. Mais cedo ou mais tarde ele vai mudar, porém o site do projeto ficará lá firme e forte em http://wildfly.org/.

Decompactei o arquivo na pasta /opt/rh. Eu uso a pasta ../rh para todas as aplicações Red Hat em meu ambiente.

No meu cenário eu ja possuo o Open JDK instaladona máquina. mas caso não estivesse era só rodar o yum install java-1.8.0-openjdk-devel. O OpenJDk tem mais sinergia com o RHEL 7, prefiro ele ao HotSpot nesse ambiente.

Para simplificar a vida no futuro, é uma boa prática criar um link simbólico.

ln -s /opt/rh/wildfly-10.1.0.Final /opt/wildfly

Copiei o arquivo de configuração wildfly.conf para a pasta /etc/default/wildfly.conf. Até a versão 9 do wildfly havia uma pasta chamada init.d dentro da pasta ../bin com esse arquivo de configuração e um script para isntalação dos serviço. Na versão 10 essa pasta foi transferida para ../docs/contrib/scripts/

Se você optar por uma pasta ou link simbólico diferente de /opt/wildfly, você precisará editar esse arquivo antes de copiar, pois caso contrário você não conseguirá dar start como serviço do wildfly.

# cp /opt/wildfly/docs/contrib/scripts/init.d/wildfly.conf /etc/default/wildfly.conf

Edita o arquivo …

O próximo passo é copiar o script de inicialização para ../etc/init.d

# cp /opt/wildfly/docs/contrib/scripts/init.d/wildfly-init-redhat.sh /etc/init.d/wildfly

Copiado o script adicionamos o WildFly como serviço através dos comandos abaixo:

# chkconfig --add wildfly

# chkconfig wildfly on

Falta agora criar uma pasta para os logs do wildfly:

# mkdir -p /var/log/wildfly

Fiz tudo isso com um usuário root, porém convém que você crie um usuário para o wilffly ou como no meu caso utilize um usuário próprio para aplicações. Eu já possuo um usuário chamado app.

# chown -R app /opt/rh/wildfly-10.1.0.Final
# chown -R app /opt/wildfly
# chown -R app /var/log/wildfly

Pronto O WildFly já está disponível como serviço. Basta iniciar.

# service wildfly start

Bom seu WildFly já está rodando, porém mas você não está conseguindo acessar remotamente.

No meu caso em específico, precisaremos editar o arquivo standalone.xml, porém vale lembrar que dependendo da utilização que você pretende para seu server, você terá que optar por ter um dos arquivos abaixo:

  • standalone.xml: (profile default ) Suporte ao Java EE Web-Profile plus com algumas extensões como RESTFul e EJB3.
  • standalone-full.xml: Suporte ao Java EE Full-Profile e recursos de servidor sem cluster.
  • standalone-ha.xml: Profile default com suporte a cluster.
  • standalone-full-ha.xml: Suporte ao Java EE Full-Profile com suporte a cluster.
# vi /opt/wildfly/standalone/configuration/standalone.xml

Neste arquivo precisamos procurar uma tag chamada interfaces deixando conforme abaixo:

<interfaces>  
    <interface name="management">
        <any-address/>
    interface>
    <interface name="public">
        <any-address/>
   interface>
interfaces>

Refêrencias:

http://wildfly.org/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s